Seja determinado, não ambíguo – Notas sobre um perfil firme

by

Obs. Escrevemos como se o leitor fosse do sexo masculino, mas esperamos que as devidas transformações sejam realizadas na mente de cada um para evitar excessos no texto.


Dúvida, incerteza, inconstância comportamental, variar o jeito de pensar e planejar com o fluir dos sentimentos são atitudes dos seres ambíguas. Seguir a maré de tal forma é importante para expressão sentimental e talvez artística, em alguns casos. Mas para aquele que quer viver sua essência, se dizer determinado com total confiança, então ele deve ser sincero.

A sinceridade a que nos referimos acima, não implica em dizer a verdade para todo mudo, basta que ele assuma para si mesmo SEMPRE a razão dos seus atos e pensamentos, por mais que lhe doa. Por exemplo, caso você queira tomar uma atitude que julga incorreta, não precisa confessar para os outras, basta compreender e assumir para si mesmo, buscando entender suas reais motivações. Neste post, o estudo deste assunto se divide em três principais subtemas: trabalho, relacionamentos e convívio.

Trabalho. Não adianta ficar reclamando do seu chefe sem tomar atitudes, isto nunca vai mudar suas condições de trabalho. Se você estiver insatisfeito neste aspecto, assuma e se esforce para melhorar de emprego ou no mínimo fazer as exigências ao seu direito. Caso, não acredite ter condições para tal, seja mais honesto ainda e aguente os problemas. Reclamar e tentar jogar a responsabilidade das suas culpas para os outros não vai resolver. Além disso, trabalhar mal às escondidas por se julgar mal recompensado é atitude de infantil que só acaba com a reputação da pessoa. Seja determinado e se arrisque ou seja determinado e assuma sua mediocridade com dignidade.

Relacionamentos. Um nosso irmão, certa vez comentou que via com felicidade o aumento no número proporcional de divórcios. Para ele, tal crescimento refletia o fato de que as pessoas não estavam mais se submetendo a condições que as deixavam infelizes, mas lutando por suas satisfações. Isto é bem verdade. De fato, por um lado temos mais pessoas se tornando determinadas de verdade. Porém, a casos também, dentro destas mesmas estatísticas, de fuga e fraqueza. O normalmente mais incomodo, não são as separações em si, é bem provável que este momento seja de alívio para ambos. Ruim são os dias e, quem sabe, anos de brigas e desentendimentos incômodos para ambos. Discutir a relação é para ser uma atividade pragmática, visando resultados bons para os dois. Viver por anos com uma pessoa e esperar que ela mude aquele hábito incomodo é normalmente uma tolice. Além disso, se você se interessou por outra, não culpe sua mulher por isso. Ou vá viver seu affair ou mantenha-se com sua mulher. Listar e integrar os problemas do seu relacionamento e utilizá-los como desculpa para casos extraoficiais é uma forma de fuga, fraqueza e impede que o homem conheça-se a si mesmo. Seja determinado e aceite sua mulher do jeito que ela é ou seja determinado e diga “Próxima!” por sua conta e risco.

Convívio. Esta análise é para casos mais gerais. A principal atitude do homem não ambíguo é não esquecer seus objetivos, missões de vida e paixões. Por vezes, mesmo alguém determinado deve abrir mão da sua vontade em prol de um investimento maior. Mas vale lembrar que quanto mais concessões contra seus objetivos ele faz, sejam para sua mulher, chefe, pais ou filhos, mais distante ele se torna de si mesmo, mais ambíguo ele será. Um estudo de caso de honestidade e determinação é o do pintor Monet:

    Monet engravidou uma namorada quando mudou-se para Paris para aprender a pintar. Porém, seu pai impôs como condição para continuar financiando-o que ele abandonasse a mulher de classe social inferior à dele, que não a assumisse, nem se casasse. Monet foi honesto consigo mesmo, reconheceu que a pintura era mais importante que tudo e disse para a mulher que não iria casar-se com ela. Porém, Basílio, um grande amigo seu, que também era estudante de pintura, porém mais abastado, disse-lhe algum tempo depois que poderia financiá-lo, comprando-lhes os quadros por um dinheiro que seria suficiente para (parco) sustento. Novamente, Monet foi honesto e, depois de garantir sua missão de vida com a pintura, abriu mão da mesada do pai e foi viver em condições mais difíceis, porém, com a mulher que amava.

Ser honesto consigo mesmo pode ser difícil e dolorido para o homem e aqueles ao seu redor, porém é a única maneira do homem conhecer a si mesmo mais completamente. Fazer a vontade dos outros não garante que estejamos certo, muito pelo contrário, pois, por mais que uma pessoa diga que quer o seu melhor, na verdade ela apenas quer aquilo que seria melhor para ela, caso estivesse no seu lugar. Algumas vezes o homem vai fazer a sua vontade e vão acreditar que ele age manipulado por outros, mas o homem deve SEMPRE reconhecer para si mesmo qual é a verdade. Perceba que quando você procura por uma opinião, comumente busca aqueles com um pensamento parecido com o que deseja guiar sua decisão. Logo, importa primar pela auto-aprovação, antes da inter-aprovação. Ficar esperando por aquele tapinha nas costas do papai, cafuné da mamãe ou beijinho da mulher talvez seja uma maneira técnica e confirmada de partir sua alma no meio e viver sempre ambíguo.

Não ser ambíguo é também fundamental para os momentos de decisões importantes. Uma boa dica para se assumir na hora de tomar decisões importantes é imaginar-se no futuro, por exemplo, “daqui a dez anos, qual das opções, com possíveis sucessos e fracassos me trará mais felicidade e satisfação dos meus sonhos e missões?“. Mudar de emprego e arriscar-se em uma nova carreira. Continuar ou trocar de mulher. Casar-se ou viver como solteiro. Ficar com a família, mulher e amigos ou viajar para longe em busca de um sonho. Todos são exemplos de decisões do tipo em que é muito importante ser determinado e assumir a responsabilidade pelas escolhas. No final das contas, enquanto alguns abrem mão da própria liberdade para viver cegamente sob uma verdade ditada por outros, é muito difícil para o ser humano dizer o que é verdadeiro. Proibido ou permitido, é somente aquilo que cada consciência e alguns consensos julgaram como tal. Limitar-se e abrir mão da liberdade, em nossa opinião, só gera sofrimento, insatisfação e o pior de tudo, ambiguidade. Seja determinado e garanta sempre que seu suor e lágrimas sejam por algo de valor.

Uma última nota sobre a sintaxe utilizada neste texto é diferenciar ambiguidade de paradoxo. O mundo em que vivemos é essencialmente incerto, logo paradoxal. Deve-se assumir quando não se sabe algo o suficiente. Mas o ambíguo será ansioso e não saberá aceitar esperar pelo conhecimento, tomando uma atitude ou escolha apressada, que por vezes podem mesmo afastá-lo da real satisfação de seu sentido na vida.

Advertisements

2 Responses to “Seja determinado, não ambíguo – Notas sobre um perfil firme”

  1. Juan Says:

    Amigo, não pare de escrever. Nunca.
    Seus textos ajudam a muitos (e a mim também), e me dão muitas idéias novas para o que devo fazer com minha vida.
    Mais uma vez, não pare.
    Estou esperando novos textos.
    Abraços, Juan.

  2. Tempo bom, tempo ruim – Sobre a maré do humor feminino « Theoretical Something’s blog Says:

    […] Theoretical Something’s blog About math and something else « Seja determinado, não ambíguo – Notas sobre um perfil firme […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: