Manifesto do movimento otimista cético pragmático

by

O otimista cético pragmático é aquele que educadamente duvida da validade do que se afirma ser o conhecimento em algum departamento especial de inquérito, mas que sempre procura boas interpretações mesmo nas mais tolas bobagens do dia-a-dia. Tudo isto porque ele sabe que na maioria das situações alegria ou tristeza é uma mera questão de escolha.

Em palavras simples, o otimista cético pragmático é alguém que mesmo procurando correções para coisas que sabe estarem muito erradas, decide voluntariamente ficar calmo, sereno e feliz porque ele quer e sua vontade é suficiente.

Muitos, principalmente os pessimistas patológicos, podem declarar ser impossível ficar bem quando tudo vai mal. Na tentativa de convocá-los ao movimento, tem-se os seguintes argumentos.

Argumentos a favor do movimento:

  1. Psicotrópicos podem ativar estados de alegria, calma e paz independentemente das condições sociais, financeiras e econômicas do sujeito. Isto prova que o ânimo de uma pessoa não está 100% correlacionado com sua situação exterior.
  2. Pessoas calmas e otimistas se estressam menos para obter os mesmos resultados que os ansiosos e pessimistas.
  3. Acreditar que se tem o direito de se sentir bem não implica em comodismo. Pois se algo vai bem, sempre se pode trabalhar para melhorar.
  4. Ninguém realmente lucra com o sofrimento de ninguém. Ou seja, sofrer nunca vai ser o resultado mais satisfatório para uma cobrança exterior ou interior.
  5. Otimismo e calma não implicam em indiferença e pusilanimidade, como pregam os contrários. Isto é fato, não existe nenhuma relação obrigatória de causalidade entre estes estados.

Algumas sugestões de conduta:

O otimismo cético pragmático normalmente não é seguido por pessoas com a auto-estima do tamanho da dos que se deixam controlar por listas, horóscopos e afins, mas aí vai:

  1. O otimista cético pragmático normalmente não finge estar triste para agradar, pois sabe que estimular o otimismo e a calma é sempre mais lucrativo psicologicamente.
  2. Se alguém cobrar tristeza para se sentir bem, pode-se sempre lembrar que ninguém é “responsável pelo que os outros acham que se deve fazer”.
  3. O adepto do manifesto normalmente acredita que por mais deprimente, compulsória e chata que seja uma doutrina, religião ou partido, sempre apresentará lados positivos que possam ser explorados para levar alguma alegria e otimismo para seus adeptos.
  4. O otimista cético pragmático tem confiança suficiente no seu poder de auto-sugestão para necessitar de psicotrópicos.
  5. O real adepto do movimento jamais trata os outros deselegantemente, com menosprezo ou ignorância porque implicaria em falta de calma e fraqueza na auto-sugestão de serenidade. Além disso, o verdadeiro otimista sabe que não é porque algo ou alguém está brutalmente errado que vai permanecer para sempre assim.

“Tá tudo errado lá fora, mas eu tou bem porque tou trabalhando para concertar. Mentira, tou bem porque quero. =D” – Moto do movimento otimista cético pragmático

Advertisements

One Response to “Manifesto do movimento otimista cético pragmático”

  1. Dúvida mata ou ensina a viver? « Theoretical Something’s blog Says:

    […] fundamentais, é cada vez mais pungente. É hora de assumir a realidade da dúvida e com ela ter o otimismo íntimo para aprender a conviver. Share this:FacebookTwitterLike this:LikeBe the first to like this […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: